O que é noticia

Conselho de Medicina cria posto para vacinar médicos do Rio

O Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) realiza em sua sede, nesta e na próxima semana, a vacinação contra a covid-19 para médicos entre 50 anos e 59 anos de idade. Hoje (5), teve início a aplicação das doses em profissionais com 59 anos. A cada dia, o grupo que receberá o imunizante será um ano mais novo.

Apenas no sábado e no domingo não haverá vacinação. Dessa forma, a ação se conclui na sexta-feira, dia 16 de abril, quando os médicos de 50 anos de idade serão vacinados. 

A aplicação das doses acontece entre 10h e 15h30 na sede do Cremerj, no bairro Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro. Os profissionais precisam antes agendar pelo site do conselho.

A ação se desenvolve em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro. Cabe ao órgão administrar os critérios de vacinação e a distribuição das doses repassadas ao município, seguindo as diretrizes do Programa Nacional de Imunizações, coordenado pelo Ministério da Saúde. 

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o calendário é o mesmo para todos os profissionais de saúde entre 50 anos e 59 anos. Também estão sendo vacinados enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, odontólogos, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, profissionais de educação física, médicos veterinários e os técnicos e auxiliares destas profissões.

São mais de 250 pontos de vacinação espalhados pela cidade que funcionam de 13h às 17h. Dessa forma, o posto do Cremerj é mais uma opção, disponível para médicos que se cadastrarem pelo site.

A vacina disponibilizada pela Secretaria Municipal de Saúde ao Cremerj é a CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório farmacêutico chinês Sinovac e produzida no Brasil pelo Instituto Butantan, centro de pesquisa biomédica vinculado à Secretaria de Saúde de São Paulo. Seu esquema vacinal prevê a aplicação de uma segunda dose após um intervalo de 28 dias.

De acordo com o Cremerj, um levantamento realizado no fim de fevereiro mostrou que pelo menos 22 mil médicos da cidade do Rio de Janeiro ainda aguardavam a vacinação. O conselho considera que ao imunizá-los contribui para evitar que ocorra, durante a pandemia, um eventual colapso na saúde por falta de profissionais. Além disso, avalia que a aplicação das doses traz mais segurança para os pacientes e para os demais trabalhadores de saúde que interagem com os médicos.

Programa solidário

Para realizar a imunização dos profissionais, o Cremerj criou o programa Vacina Solidária. Os médicos estão sendo convocados para doar alimentos não perecíveis quando forem receber a vacina. Segundo o conselho, os produtos arrecadados serão repassados para instituições de caridade.

É a segunda campanha de vacinação realizada pelo Cremerj em sua sede. Entre 27 a 29 de janeiro, cerca de 2,2 mil médicos acima de 60 anos de idade receberam a vacina Covishield, desenvolvida em parceria pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica inglesa AstraZeneca. O imunizante também está sendo produzido no Brasil, devido a um acordo selado com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), instituição de pesquisa vinculada ao Ministério da Saúde e sediada no Rio de Janeiro.

O esquema vacinal da Covishield prevê a segunda dose após um intervalo de três meses. 

De acordo com o Cremerj, quem foi vacinado no final de janeiro poderá, em breve, fazer novo agendamento no site para a nova aplicação.

Comments
To Top