Copa Sul Americana

São Paulo vence Lanús, mas cai novamente na Sul-Americana

A vitória do São Paulo por 4 a 3 não foi suficiente para evitar mais uma eliminação para um rival argentino em um torneio continental

O São Paulo colecionou mais uma eliminação para um time argentino na noite desta quarta-feira. Recebendo o Lanús, no Morumbi, pelo jogo de volta da segunda fase da Copa Sul-Americana, a equipe comandada por Fernando Diniz precisava de uma vitória simples para avançar às oitavas de final após derrota por 3 a 2 na Argentina, contudo, com uma defesa frágil no primeiro tempo, teve dificuldades, saindo atrás. Na etapa complementar, melhorou e virou o jogo, mas a vitória por 4 a 3 não foi suficiente para evitar mais uma eliminação para um rival argentino em um torneio continental. Daniel Alves, Pablo, Thaller (contra) e Gabriel Sara balançaram as redes para o Tricolor. De La Vega, Aguirre e Orsini, já nos acréscimos do segundo tempo, marcaram os gols dos visitantes.

Essa foi a quarta eliminação do São Paulo para clubes pequenos e médios da Argentina em quatro anos. Em 2017, o Tricolor caiu para o Defensa y Justicia, na Sul-Americana. No ano seguinte, Colón foi o carrasco do clube no torneio. Já em 2019 o Talleres desclassificou os são-paulinos na Pré-Libertadores.

São Paulo vence Lanús, mas cai novamente na Sul-Americana
Foto: Andre Penner / Reuters

O Lanús, por sua vez, segue vivo na busca pelo bicampeonato da Sul-Americana. Campeão da edição de 2013 do torneio, vencendo a Ponte Preta na final, o time comandado por Luis Zubeldía enfrentará o Bolívar, da Bolívia, nas oitavas de final.

O jogo – O Lanús começou melhor a partida. Logo aos quatro minutos os visitantes só não abriram o placar porque Luan apareceu para fazer o corte providencial no cruzamento de De La Vega para o veterano Sand. O São Paulo, por sua vez, respondeu aos sete, quando Reinaldo aproveitou a sobra do cruzamento para bater de primeira, cruzado. Brenner tentou completar para o gol, mas não alcançou a bola.

Mais agressivo quando ia ao ataque, o Lanús acabou sendo premiado pela postura aos 16 minutos, quando Tchê Tchê vacilou ao tentar recuar, e De La Vega ficou com a bola para soltar a bomba de fora da área, com efeito, sem chances para Tiago Volpi.

Só que o Tricolor não demorou muito tempo para reagir. Dez minutos depois, Reinaldo mandou para a área, a defesa do Lanús desviou e Daniel Alves, esbanjando reflexo, cabeceou para estufar as redes e deixar tudo igual no Morumbi.

O jogo seguiu movimentado após o empate. Aos 30, De La Vega mais uma vez experimentou de fora da área, mas mandou para fora. Depois, aos 36, Burdisso cabeceou à queima-roupa, mas Tiago Volpi fez defesa milagrosa, frustrando os visitantes. Já o São Paulo esteve perto da virada aos 40 minutos, quando Igor Gomes deixou Luciano na cara do gol, mas o atacante acabou errando a mira ao tentar encobrir o goleiro.

De tanto insistir, o Lanús, aproveitando a fragilidade da defesa tricolor. Retomou a frente no placar aos 43 minutos. Di Placido cruzou pela direita, e Aguirre, no segundo pau, bateu firme para fazer 2 a 1. Antes de o juiz apitar o fim do primeiro tempo, Reinaldo ainda tentou empatar com uma bomba de fora da área, mas Morales estava ligado e fez boa defesa.

Segundo tempo

Começando a etapa complementar com Pablo na vaga do zagueiro Diego Costa, o São Paulo foi para o tudo ou nada. Logo aos três minutos, Tchê Tchê cruzou pela direita, e Luciano cabeceou sozinho, mandando para fora. Depois, foi a vez de Brenner desperdiçar um passe do lateral-direito.

O Tricolor continuou pressionando e aos 12 minutos carimbou a trave em cobrança de falta de Gabriel Sara. No rebote, com o goleiro batido, Pablo cabeceou para fora. Se o camisa 9 são-paulino não teve tanta sorte após o tiro livre de Sara, melhor aos 17 minutos, quando Pablo recebeu passe em profundidade, invadiu a área e bateu cruzado, sem chances para Morales, empatando a partida no Morumbi.

Motivado com o empate, o Tricolor continuou martelando no ataque. Aos 18, quase veio a virada em chute de Gabriel Sara, que mandou para fora. Já aos 26 minutos, Brenner, que vive grande fase, perdeu um gol inacreditável ao completar de primeira o cruzamento de Sara, mandando para fora.

Só que de tanto insistir, uma hora o São Paulo iria chegar ao tão sonhado terceiro gol. E foi exatamente isso o que aconteceu aos 41 minutos, quando Gabriel Sara desceu pela esquerda e cruzou para o meio da área. Thaller tentou cortar e acabou cabeceando contra o próprio gol, virando a partida para os donos da casa.

Mas, a vitória por 3 a 2 não era suficiente para a classificação no tempo regulamentar. Justamente por isso, o time comandado por Fernando Diniz seguiu no ataque e aos 44 minutos chegou ao quarto gol. Daniel Alves fez cruzamento perfeito para Gabriel Sara cabecear no segundo pau e praticamente garantir a classificação tricolor às oitavas de final da Copa Sul-Americana.

O clima já era de alegria por parte dos donos da casa, a ida para a próxima fase estava em mãos, mas o Lanús não desistiu. Já nos acréscimos, Orsini recebeu cruzamento e não titubeou, finalizando de maneira certeira para jogar um balde de água fria no time do São Paulo e garantir a emocionante classificação para os visitantes.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 4 X 3 LANÚS

Local: estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)

Data: 4 de novembro de 2020, quarta-feira

Horário: 19h15 (de Brasília)

Árbitro: Alexis Herrera (VEN)

Assistentes: Jorge Urrego (VEN) e Tulio Moreno (VEN)

Gols: De La Vega, aos 16, Aguirre, aos 43 do 1ºT,e Orsini, aos 47 do 2ºT (Lanús); Daniel Alves, aos 26 do 1ºT, Pablo, aos 17 do 2T, Thaller (contra), aos 41 do 2ºT, e Gabriel Sara, aos 44 do 2ºT (São Paulo)

Cartões amarelos: Facundo Pérez, Burdisso, Acosta e Belmonte (Lanús); Gabriel Sara (São Paulo)

SÃO PAULO: Tiago Volpi; Tchê Tchê, Diego Costa (Pablo), Bruno Alves (Vitor Bueno) e Reinaldo; Luan, Daniel Alves, Igor Gomes e Gabriel Sara; Brenner (Arboleda) e Luciano (Léo).

Técnico: Fernando Diniz.

LANÚS: Morales; Leonel Di Plácido, Thaller, Burdisso y Aguirre (Orozco); Facundo Pérez (Alexis Péres), Tomás Belmonte y Lucas Vera (Quignón); Pedro De La Vega (Orsini), José Sand y Bernabei (Acosta).

Técnico: Luis Zubeldía.

Fonte: Terra

 

Click to comment

Deixe uma resposta

To Top
%d blogueiros gostam disto: