Jovens mortos em chacina no Jardim Maracanã foram enterrados hoje em SP

Jovens mortos em chacina no Jardim Maracanã foram enterrados hoje em SP

5 de agosto de 2019 0 Por Clayton Lima

Chacina aconteceu na madrugada de sábado para domingo (04), no Jardim Maracanã comunidade que fica no bairro do Campo Limpo em SP. Dois jovens foram mortos e um ficou ferido nos ataques

Dois jovens foram mortos e um ficou ferida em chacina que aterrorizou comunidade da Zona Sul em SP. Por volta das 03h00 da manhã, de domingo (04), homens fortemente armados chegaram ao local e encontrou três jovens na rua. Sem abordar e se apresentar eles abriram fogo contra os jovens. Os rapazes tentaram correr mas foram intimidados pelos homens com armas em punho a não fugir. Os rapazes foram executados na hora sem direito a defesa pois estavam desarmados. Na hora dos ataques dois irmãos menores de idade estavam no local. Um deles o mais velho foi atingido pelos atiradores. O mais novo correu para não ser morto e foi perseguido pelos homens que invadiram a casa dele e tentaram matar o garoto diante da sua família. Por sorte a arma falhou três vezes segundo testemunhas.

Jovens assassinados no Jardim Maracanã foram enterrados nesta segunda (05) Foto: Internet

Não conseguindo fazer mais vítimas os homens evadiram do local do crime. Logo após os ataques a policia militar chegou ao local e socorreu o jovem menor de idade e um dos rapazes mais velho ainda com vida. O rapaz mais velho Welison Riceri não resistiu os ferimentos a bala e morreu no hospital do Campo Limpo. O jovem mais novo socorrido no hospital foi submetido a cirurgia e passa bem. O rapaz mais velho Eduardo Nascimento morreu na hora quando foi atingido pelos tiros disparados pelos atiradores.

A policia militar confirmou que um dos jovens assassinados tinha passagem pela policia por tráfico e já tinha cumprido pena. O outro rapaz  Welison Riceri não tinha passagem pela policia. Os outros dois jovens menores de idade também não tem passagem pela fundação casa. Os dois rapazes mortos foram enterrados nesta segunda (05), no cemitério do Jardim São Luiz em meio a comoção de familiares e amigos dos rapazes. Em meio a protestos por falta de segurança nas comunidades eles pediram justiça e paz. Amigos dos rapazes espalharam no facebook um pedido de paz na comunidade do Jardim Maracanã que esta localizado no bairro do Campo Limpo na Zona de São Paulo. Amigos de Welison Riceri disseram que ele era um menino calmo, trabalhava de limpador de piscina e sempre foi muito querido por todos. No dia do crime ele estava próximo a sua casa na rua Tarcilia Monteiro conversando com os amigos quando os homens chegaram ao local atirando. A mãe do Rapaz é evangélica, separada e tem outros três filhos mais velhos nenhum deles tem envolvimento com crimes. Eduardo Nascimento o outro rapaz embora tivesse passagem por tráfico, tinha abandonado a vida do crime e se dedicava a ajudar a sua mãe que trabalha como diarista. Vitor Reis o menor de idade atingido pelo crime também não tem passagem pela policia e vive com sua avô paterna também evangélica.

Eduardo Nascimento (Direita) Welison Riceri (Esquerda) jovens foram assassinados no Jardim Maracanã Foto: Facebook

O caso da Chacina do Jardim Maracanã

Um ataque a tiros no bairro do Jardim Maracanã vitimaram três jovens nesta madrugada (04) em São Paulo. Homens encapuzados e fortemente armados invadiram o local, perseguiram as vítimas e alvejaram os três rapazes com cerca de 15 tiros ou mais. Os tiros a grande maioria foram na cabeça e em pontos letais demonstrando a vontade de matar por parte dos criminosos. As vítimas executadas pelos homens encapuzados são Eduardo Nascimento, Welison Riceri e Vitor Reis. Segundo testemunhas os executores não deram chance de defesa a vítimas que estavam desarmados e mesmo assim foram executados. Duas das vítimas foram socorridas ainda com vida e levadas a um hospital que fica próximo ao Jardim Maracanã. Pelos menos umas das vítimas veio a óbito no hospital onde foi socorrido.

Execuções do tipo infelizmente não é caso isolado na capital. Homens armados por vezes invadem locais que tem grande número de pessoas como bares abrem fogo e somem da mesma forma que apareceram. Esse tipo de caso levanta uma dúvida quanto a autoria desse tipo de atentado. A maior facção que age dentro e fora dos presídios de São Paulo não tem como prática esse tipo de ação. Quando alguém desvia do código de conduta da facção as pessoas costumam serem julgadas e embora no crime tem o direito de defesa os chamados debates. Essa mesma facção não costuma autorizar esse tipo de ataque em comunidades porque acaba arranhando a boa imagem que eles tem frente as comunidades.

Só do inicio do ano para cá ocorreram em São Paulo mais de seis chacinas deixando um saldo de mais de 40 mortes. Casos de chacina e execuções em São Paulo não tem tido uma solução eficaz por parte do estado. Esses casos são investigados mas a policia não chega a elucidação dos mesmos. Sem aponta os autores fica difícil a população saber quem esta por traz dessas execuções. O caso de execussões mais conhecido na cidade dos últimos tempos foi a chacina de Osasco que deixou um saldo de pelo menos 12 morte e descobriu-se depois que policiais tinham sido os autores dos assassinatos.

Fonte: Da Redação