Mensagens confirmam participação de 3º suspeito em ataque, diz polícia 

Adolescente de 17 anos chegou ao Fórum de Suzano acompanhado da mãe

Adolescente de 17 anos chegou ao Fórum de Suzano acompanhado da mãe
Reprodução/Record TV

Os matadores da Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, a 50 km de São Paulo, responsáveis pela morte de dez pessoas em ataque ocorrido na última quarta-feira (13), pretendiam estuprar estudantes durante o ataque. A informação surgiu após análise de trocas de mensagens entre Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, Luiz Henrique de Castro, de 25 — autores do crime — e o adolescente de 17 anos apreendido nesta terça-feira (19) por suspeita de envolvimento no planejamento da ação.

A correspondência dos adolescentes em aplicativos de mensagens no celular que sugeria a intenção de estupro coletivo de alunas do estabelecimento de ensino foi encaminhada para a perícia.

Leia mais: ‘Ele queria matar mais. Pelo menos 50’, diz 3º suspeito do massacre

O jovem apreendido foi encontrado em casa e, acompanhado pela mãe, foi levado para o Fórum de Suzano. Ele já passou por exame de corpo de delito no IML local e é ouvido por representantes do Ministério Público e da Justiça em uma audiência de participação, parte do protocolo. 

O adolescente deverá ser levado para uma unidade da Fundação Casa. Caso não existam vagas, ele poderá ser mantido por até cinco dias em uma sala especial.

Leia mais: Após massacre, Escola Raul Brasil é reaberta pela 1ª vez aos estudantes

O adolescente suspeito de participar do planejamento do massacre havia concedido uma entrevista exclusiva ao programa Balanço Geral, da Record TV, na última quinta-feira (14). No entanto, o jovem não revelou na gravação o envolvimento com os assassinos nem na elaboração do plano criminoso e se apresentou apenas como uma testemunha da tragédia.

O jovem disse ainda que a intenção dos assassinos era matar ainda mais pessoas. “Tudo o que ele fez, estava planejado. Pela munição que levou, ele queria matar mais pessoas. Pelo menos 50 mortos”, revelou.

Você tem alguma denúncia? Envie um e-mail para denuncia@r7.com

Advertisment ad adsense adlogger