Curtos-circuitos provocaram 451 incêndios e 30 mortes em 2017

48 visualizações

Um estudo da Abracopel (Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade) mostra que em 2017 ocorreram 451 incêndios por curtos-circuitos em todo o Brasil e que resultaram na morte de 30 pessoas. Só no estado de São Paulo foram 62 incêndios que causaram  mortes.

A região sudeste e nordeste foram as que registram o maior número de ocorrências, foram 114 casos de curtos-circuitos que provocaram incêndios nestas regiões. A região sul foi a que registrou o maior número de mortos, 11 pessoas perderam suas vidas em função de curtos-circuitos na região no ano passado.

Nesta quinta-feira (3), o Secretário de Segurança Pública de São Paulo Mágino Alves Barbosa Filho, confirmou que a explosão por um curto-circuito numa tomada onde havia 3 eletrodomésticos ligados e sendo utilizados simultaneamente, provocou o incêndio que colapsou um prédio ocupado por movimentos sociais na última terça-feira (1º), no Largo do Paissandu (centro de São Paulo).

Dados sobre curto circuitos no Brasil em 2017

Dados sobre curto circuitos no Brasil em 2017
Reprodução/Abracopel

Segundo o engenheiro eletricista e diretor executivo da Abracopel, Edson Martinho, o “anuário é resultado de um monitoramento e levantamento sobre ocorrências elétricas no país, que é publicado para conscientizar sobre os riscos da eletricidade, mas sabemos que os números reais são maiores que estes, pois infelizmente muitos incêndios e acidentes não tem suas causas investigadas”.

Ainda segundo Martinho, a maioria das ocorrências registradas no anuário no ano passado, foram de sobrecarga ou curtos-circuitos ocorridos em residencias. “Muitas vezes omitimos as regras de segurança em detrimento de custos que podem acabar custando muito caro”, afirma.

“Na ocupação, já suspeitávamos que a causa do incêndio seria algo relacionado a eletricidade, naquele caso uma sobrecarga por ligar múltiplos aparelhos em uma única tomada”, diz  Edson.

Recomendados para você  Trabalho de buscas em edifício que pegou fogo e desabou entra no sétimo dia

A associação também alerta que algumas medidas simples pode ser tomadas para evitar acidentes elétricos como:

 – Fuja da gambiarra: improvisar pode colocar sua vida ou seu imóvel em risco;

 – Evite usar benjamins e extensões:  Muitas vezes dá a impressão de ter mais tomadas, quando na verdade não tem. Um super-aquecimento ou um curto pode causar um incêndio;

 – Nunca substitua disjuntores e fusíveis sem saber a capacidade da rede elétrica: O disjuntor desliga o circuito se ultrapassar a capacidade dos fios e são dimensionados para isto, troca-los sem saber qual a capacidade da rede pode resultar em super-aquecimento da rede e provocar um incêndio;

– Revise as instalações elétricas a cada 5 anos: Verificar toda a instalação periodicamente ajuda a reduzir os riscos de acidentes com eletricidade;

 – Contrate sempre profissionais qualificados: Evite curiosos ou pessoas sem qualificação, erros e falhas de instalação e projetos podem resultar em acidentes e até incêndios;
 

 

%d blogueiros gostam disto: