Esportes

Com boa vantagem, Ceará busca hoje bicampeonato do Nordestão

Após vencer o Bahia no jogo de ida, por 3 a 1, no último sábado, o Vovô pode até perder por um gol que será bicampeão. Mas embora perto do título, alvinegros rechaçam relaxamento e querem repetir jogo quase perfeito pela consagração

No planejamento para uma temporada, disputar títulos e levantar taças é sempre o objetivo de um clube grande, com enorme torcida. E o Vovô trilhou parte do caminho, ao chegar nas finais do Campeonato Cearense e da Copa do Nordeste, como planejado por sua diretoria. Hoje, o Ceará, contra o Bahia, às 21h30, no Estádio Pituaçu, em Salvador, pelo 2º jogo da finalíssima da Copa do Nordeste, pode dar mais um passo em seus objetivos, e conquistar o 1º título de 2020, podendo ser o primeiro time cearense a gritar “é campeão” no ano.

A expectativa pelo título alvinegro, que seria um bicampeonato do Nordeste, o primeiro neste novo formato – desde 2013 – aumentou consideravelmente após a ótima vitória por 3 a 1, no último sábado, no jogo de ida, também em Pituaçu.

O placar do jogo de ida permite ao Vovô perder até por um gol de diferença, que será campeão. Uma derrota por dois gols levaria a decisão para os pênaltis e a perda do título, algo que nenhum alvinegro quer sequer imaginar, aconteceria com uma derrota por três gols de diferença.

Tanto pela vantagem construída, superioridade mostrada em campo e atuação segura, o otimismo para a conquista é mais do que natural, principalmente por parte da torcida alvinegra, eufórica após o final de jogo de sábado. Mas o técnico Guto Ferreira e os jogadores sabem bem que, no futebol, as coisas funcionam em outra rotação. A concentração precisa ser total e uma final de campeonato não permite otimismo ou relaxamento.

É isso que o Ceará quer evitar, ficando bem claro nas declarações pós-jogo: muito respeito pela qualidade do Bahia e que, para levantar a taça, será preciso jogar melhor ainda.

Experiente, o técnico Guto Ferreira tratou logo de manter a concentração dos seus jogadores em alta.

“Se nós jogamos bem no sábado, temos que jogar muito melhor, porque a tendência é de um Bahia mais forte. E, para a gente superar esse Bahia mais forte, temos que ter um Ceará mais forte. Temos muito respeito ao nosso adversário”, advertiu o treinador.

Guto, aliás, pode ser bicampeão do Nordeste, assim como o Ceará. Se o Vovô conquistou o torneio de 2015 de forma invicta e busca repetir a dose hoje, Guto também já levantou a taça, em 2017, pelo Bahia.

Um dos principais destaques do Ceará, o meia Fernando Sobral, bastante elogiado pelo técnico Guto Ferreira, também destacou que o espírito do time precisa ser o mesmo para sair de Pituaçu campeão.

Legenda: Na primeira partida da decisão, o Ceará saiu de campo vitorioso, com um 3 a 1 em Salvador Foto: FELIPE SANTOS/CEARASC.COM

“Fizemos uma vantagem em cima do Bahia, mas sabemos que não tem nada ganho ainda. A gente tem que manter essa evolução, o nosso espírito de garra. Vamos com humildade para conquistar o nosso objetivo”.

Mudança

O jogador do Vovô citou garra e manter uma evolução na partida de hoje. E o maior desafio para isso é superar o desfalque do volante Charles, um dos jogadores mais regulares e importantes do time.

Com ele suspenso pelo 3º cartão amarelo, Guto tem três opções se quiser manter o esquema tático: Ricardinho, Marthã ou William Oliveira. Se escolher um dos dois primeiros, a equipe deve propor mais o jogo, mas se William for o escolhido, o mesmo campo estará ainda mais precavido e marcador.

“A gente tem um grupo que se dedica, que se supera, grupo que tem qualidade, e a gente tem que superar da melhor maneira possível a ausência e procurar fortalecer mais e mais para fazer outro grande jogo, porque a gente sabe da qualidade do adversário”, disse Guto.

Retrospectos

Embora todos no Bahia admitam que a derrota foi dura e que a atuação da equipe foi muito abaixo da esperada, o discurso é de esperança por uma virada. Na tarde de ontem, o clube exibiu para o elenco um vídeo de conquistas do Tricolor, em comum com a marca da superação e viradas nos placares

Só que sob o comando do técnico Roger Machado, apenas em quatro jogos dos 65 comandados por ele, o time conseguiu vencer por três gols de diferença, placar que daria o título regional, ao vencer Londrina, Flamengo, Nacional/PAR e Náutico. Vitórias por dois gols de diferença, que leva a decisão para os pênaltis, foram 10.

Outro ponto que pesa contra os baianos é que o Ceará não perdeu nenhuma vez por dois gols de diferença no ano. A única derrota foi por 2 a 1, no Clássico-Rei pelo Estadual.

Ficha Técnica

Copa do Nordeste – Final – 2ºjogo
Estádio Pituaçu, em Salvador (BA)
4 de agosto – 21h30

Bahia

Anderson, João Pedro, Lucas Fonseca, Juninho, Juninho Capixaba, Gregore,
Flávio, Rodriguinho, Rossi, Élber e Fernandão. Técnico: Roger Machado

Ceará

Fernando Prass, Samuel Xavier, Klaus, Luiz Otávio, Bruno Pacheco, William Oliveira Fabinho, Fernando Sobral, Vinícius, Leandro Carvalho e Cléber. Técnico:  Guto Ferreira

Árbitro: Caio Max Vieira – RN.Transmissão: Rádio Verdes Mares, Tempo Real do Diário do Nordeste e Tempo Real do ge.globo/ce

Click to comment

Deixe uma resposta

To Top
%d blogueiros gostam disto: