Medina mostra confiança: “Se começar o ano bem, vai ser difícil me parar”

Gabriel Medina, impulsionado por um título recém-conquistado, mostra uma confiança inabalável na busca de seus objetivos. Já deixou bem claro que 2019 tem duas metas a cumprir: quer o tricampeonato mundial de surfe e ser um dos representantes brasileiros na Olimpíada de Tóquio.

Sua jornada começa em abril nas praias australianas. Mas a preparação física e mental já vem desde quando ganhou o título no Havaí, em dezembro do ano passado. Antes de embarcar para lá novamente, o surfista conversou com a imprensa e transmitiu um pouco dessa sua confiança para o que almeja. Também falou sobre o momento do surfe brasileiro, uso de mídias sociais e outros assuntos. Confira:

Torcedores: É sua última coletiva antes de começar a viajar. Como foi sua preparação e como vai fazer para buscar o tricampeonato mundial?

Medina: Fiquei dez dias no Rio de Janeiro treinando no CT do COB, no Parque Olímpico. Foram dez dias intensos. Participei um pouco do carnaval. Foi o que tinha combinado com meu pai. Se eu fosse campeão mundial, teria carnaval esse ano. Ele chegou no meio, então tive que começar a treinar um pouco antes. Mas foi legal. Tenho trabalhado bastante com minha equipe nesses dias. Estou me sentindo bem, estou preparado. O ano começa agora no dia 3, com a etapa na Austrália. Estou indo para o Havaí com minha família. Estou bem, mas ansioso para esse começo de temporada e quero buscar meus objetivos: defender o título mundial e, pensando nas Olimpíadas ano que vem, este ano é classificatório, quero ir bem para estar lá.

Torcedores: O Brasil venceu nove das onze etapas. Como você enxerga essa nova temporada, tendo em vista esse domínio dos brasileiros?

Medina: O surfe brasileiro está vivendo um momento incrível. Neste último ano tiveram o Ítalo (Ferreira), o Filipinho (Toledo) e eu disputando o título mundial. Acho que nunca tivemos esse número de atletas nessa condição. Temos dois campeões mundiais, o (Adriano) Mineiro e eu (duas vezes) e somos a maioria no circuito. Fico feliz de fazer parte dessa geração. Acho que, daqui para frente, vão entrar mais brasileiros no circuito. É o melhor momento que tivemos no surfe.

Torcedores: Sabemos que um atleta do seu nível nunca está satisfeito. O que você que pode melhorar?

Medina: Sempre procuro melhorar com meu pai e toda minha equipe. Optamos por treinar no COB, por sua estrutura avançada, em questão de aparelhagem. Fiz uns testes que nunca tinha feito na vida. Fiz algumas coisas de diferente, até buscando mais detalhes sobre meu treino. Meu pai está sempre na areia, então sempre me corrige. Assistimos todos os outros surfistas.

Torcedores: Normalmente você costuma se dar melhor na segunda parte do ano. Houve mudanças no calendário para este ano. Pensa que isso pode lhe favorecer de alguma forma?

Medina: O calendário mudou, mas continua as mesmas etapas. Eu vou ter que melhorar o que tenho feito de errado nos últimos anos. O começo do ano, para mim, é o mais difícil. Eu acabo começando mais devagar. São três etapas que é muito difícil de surfar de backside, mas tenho aprendido bastante. Tenho certeza que se começar o ano bem, vai ser difícil me parar.

Torcedores: Você foi campeão em 2014. Depois passou três temporadas batendo na trave atrás do bi, que veio no ano passado. Qual foi o aprendizado que você tirou nesse período entre títulos?

Medina: Confesso que demorou um pouco depois do primeiro titulo mundial. Foram longos anos. Eu tinha colocado como meta, queria que tivesse vindo mais rápido esse segundo título. É difícil chegar lá, é muito mais difícil manter. Foram anos que eu aprendi bastante. Perdi bastante, mas ganhei em algumas vezes. Sempre trabalhei a cabeça para continuar neste foco, sabia que uma hora iria chegar. Agora o foco não muda, quero ser tricampeão mundial e vou trabalhar para que isso se concretize.

Torcedores: Aconteceu uma frustração de não ganhar o Prêmio Laureus na sua categoria, já que era um dos favoritos?

Medina: É uma premiação gigante. Claro que você está disputando com os melhores do mundo de diversas modalidades, então só de ter recebido o convite, já fico feliz. Ganhar é detalhe. Mas acredito que em um ano vá chegar.

Torcedores: De que forma você acredita que as redes sociais podem te ajudar na sua carreira?

Medina: As redes sociais estão nas mãos de todo mundo. Tudo o que acontece nos bastidores, procuro mostrar. E uma forma de deixar as pessoas, que estão longe desse mundo, mais perto. Tem o lado bom, tem o lado ruim, já que perdemos um pouco da privacidade. Mas eu gosto de interagir, até porque tem muita gente que gosta de mim e não pode estar por perto. Sempre que estou fazendo algo legal, ou algo que um ídolo postasse eu ficaria feliz, eu tento mostrar.

Torcedores: Você é um superatleta, reconhecido mundialmente. Em todos os lugares que você vai e tudo o que faz ganha uma repercussão na imprensa muito grande. Como lidar com esse status de celebridade?

Medina: Tudo o que estou vivendo hoje, não esperava que chegasse nisso. O meu objetivo principal é fazer o meu melhor no surfe. Graças a Deus, me tornei campeão mundial, agora pela segunda vez. Conheci várias outras celebridades, hoje tenho amigos de “outros mundos”, são coisas que aconteceram, nada foi previsto. Vivo minha vida do jeito que tem de ser, não me preocupo com essas coisas. Sei que tem sempre gente me assistindo. Tomo bastante cuidado.

LEIA MAIS

Audi renova parceria com Gabriel Medina por mais uma temporada

Medina mostra confiança: “Se começar o ano bem, vai ser difícil me parar”Torcedores.com.

Advertisment ad adsense adlogger