Valorizada, base do São Paulo representa quase metade do elenco

Antony, Igor Gomes e Helinho foram promovidos ao profissional nesta semana (Foto: Rubens Chiri/SPFC)

Dirigido por Raí, o departamento de futebol do São Paulo tem cumprido um projeto à risca: o de aproximar cada vez mais as categorias de base do time profissional. Nesta semana, o clube deu mais uma mostra disso promovendo os meias-atacantes Igor Gomes, Helinho e Antony.

Com o trio, o CT de Cotia chegou à marca de 14 jogadores efetivados na temporada 2018. Antes, outros 11 atletas haviam sido contemplados: os atacantes Bissoli, Paulo Boia, Caíque e Marquinhos Cipriano, os volantes Pedro Augusto, Paulo Henrique, Liziero e Luan, o meia Gabriel Sara, o zagueiro Rony e o goleiro Lucas Paes.

Metade desses pratas da casa, contudo, já não integra mais o plantel principal. Com o intuito de dar mais experiência e ritmo aos jogadores pouco aproveitados, o São Paulo emprestou Rony, Pedro Augusto e Paulo Boia, além de devolver para a base Bissoli, Gabriel Sara e Paulo Henrique. Já Cipriano foi liberado para o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia.

Outra medida adotada para evitar ociosidade foi emprestar esses jovens atletas ao time sub-23, que disputa o Campeonato Brasileiro de Aspirantes pelo segundo ano seguido. É o caso do atacante Brenner, autor de dois gols na vitória por 2 a 0 sobre o América-MG, na última terça.

Em meio a administração do elenco, o clube acelera o processo de integração. Já há alguns meses, atletas oriundos de Cotia participam de treinos junto aos profissionais no CT da Barra Funda. Nesta semana, por exemplo, os jovens Carlinhos, Gilson, David Elias, Raúl, Thiaguinho e Thiago Couto completam as atividades.

Para se ter uma ideia da valorização da base são-paulina, dos 30 jogadores do elenco principal, 12 foram moldados em Cotia. Os recém-promovidos Lucas Paes, Caíque, Liziero, Luan, Igor Gomes, Helinho e Antony se juntaram a atletas que subiram anteriormente, como Araruna, Shaylon, Brenner, Lucas Perri e Rodrigo Caio.

Embora não sejam titulares, eles são úteis na campanha do líder do Campeonato Brasileiro. Casos dos versáteis Liziero e Araruna, que são acionados de forma recorrente em várias posições quando necessário. Mais recentemente, o jovem Luan entrou para esse grupo, chegando a ser titular contra Cruzeiro e Ceará. E Rodrigo Caio, recuperado de lesão, tende a receber mais chances até o fim do ano.

Além disso, o São Paulo vem se protegendo de casos como o de Éder Militão, renovando contratos recentemente com algumas de suas promessas, como Antony (setembro de 2023), Igor Gomes (março de 2023), Helinho (abril de 2023) e Rodrigo (dezembro de 2021), para não ter que negociá-los de forma precoce.

“Estamos trabalhando em conjunto com a base, e um dos objetivos é de que os meninos façam parte da equipe principal. Nós precisamos desses meninos, são jogadores importantes para o processo de crescimento do clube”, avaliou o técnico Diego Aguirre.

O post Valorizada, base do São Paulo representa quase metade do elenco apareceu primeiro em Gazeta Esportiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Advertisment ad adsense adlogger