Em ação inédita, Globo mistura histórias e capítulo de Orgulho e Paixão divulgará a novela das 19h O Tempo Não Para

Globo unirá Orgulho e Paixão e O Tempo Não Para (Foto: Reprodução)
Globo unirá Orgulho e Paixão e O Tempo Não Para (Foto: Reprodução)

A Globo surpreendeu e realizará um crossover sutil entre duas novelas, Orgulho e Paixão e a inédita O Tempo Não Para.

Isso porque a primeira fará uma propaganda da trama que começará logo depois, no capítulo que será exibido dia 31 de julho, quando estreará a trama das 19h, como informa a jornalista Carla Bittencourt.

+ Manifestante invade link ao vivo da Globo e agride brutalmente o repórter: “Globo golpista”

A cena mostrará uma conversa entre Elisabeta (Nathalia Dill) e Darcy (Thiago Lacerda), onde eles falam sobre o naufrágio que será o mote da inédita. O casal estará lendo uma reportagem sobre os 25 anos de aniversário do misterioso naufrágio do navio Albatroz na costa da Patagônia. Darcy questionará a Elisabeta porque esse acidente ficou tão famoso e ela explicará que é porque a família Sabino Machado, dona de grande parte de São Paulo, estava à bordo.

“Ricos, milionários, a família toda… Quem sabe felizes, numa viagem para celebrar suas vidas, suas conquistas e… Um desastre, ele afunda. Os corpos nunca foram encontrados, provavelmente no fundo do oceano. C’est fini. Acaba a celebração, acaba a vida. Em minutos”, declarará Elisabeta a Darcy.

MAIS SOBRE O TEMPO NÃO PARA

As singularidades dos núcleos “congelados” e “contemporâneos” e o choque proveniente do encontro entre personagens de séculos diferentes, na próxima novela das sete, O Tempo Não Para, terão destaque com o trabalho das áreas de figurino e caracterização.

A figurinista Paula Carneiro adotou cores mais vivas e quentes para a família Sabino Machado e seus agregados, enquanto os personagens de 2018 seguem uma linha com cores mais sóbrias. Já as diferenças na caracterização, assinada por Juliana Mendes, ficam por conta de penteados, cortes de cabelos e tatuagens. A propósito, o visual dos personagens “contemporâneos” é bem representativo das mudanças que ocorreram nesses 132 anos em que a família ficou dentro de um bloco de gelo: a equipe explora cortes mais curtos para as mulheres, o que era improvável em 1886, além de cabelos coloridos e raspados.

%d blogueiros gostam disto: