Manifestantes com filhos protestam contra a prática da administração Trump de separar crianças de seus pais antes de uma audiência conjunta do Judiciário da Câmara e do Comitê de Supervisão da Câmara e Reforma do Governo em Washington. O presidente americano culpou os democratas pela política, dizendo que ‘temos que separar as famílias’ por causa de uma lei que ‘os democratas nos deram’. No cartaz podemos ler os dizeres: ‘famílias devem estar juntas’

Estagiária do R7 sob supervisão de Cristina Charão

A separação das crianças e pais está sendo vista como ‘crueldade’ e manifestantes estão pedindo o ‘fim do ódio’. A ONU qualificou a separação de pais e filhos como ‘impiedosa

O reverendo Al Sharpton faz uma coletiva de imprensa em frente ao Capitólio dos EUA para pedir ao governo Trump que pare de separar as crianças de suas famílias na fronteira dos EUA

Um grupo de pessoas se reuniu em Washington para ouvir as palavras do reverendo. Elas seguravam cartazes que pedem ‘justiça e dignidade para os imigrantes’ e ‘igualdade para todos’

Mas um número ainda maior de manifestantes se concentrou em El Paso, cidade do Texas na fronteira com o México. Os cartazes pedem que os EUA parem de ‘raptar’ e ‘aprisionar’ crianças

Nesta foto é possível ver uma mulher segurando um cartaz com os dizeres ‘mantenham as crianças e deportem os racistas’

A secretária de Segurança Interna dos Estados Unidos, Kirstjen Nielsen, disse nesta segunda-feira que não vai se desculpar pela política imigratória adotada pelo governo de Donald Trump que separa os pais de seus filhos na fronteira com o México. No protesto em El Paso, cartazes com os dizeres ‘parem de seguir ordens’ foram levantados