Farmácias: segundo
a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Rússia está no grupo de países nos quais 25%
dos remédios em circulação são falsificados, contrabandeados ou não possuem
registro dos órgãos públicos reguladores. Médicos russos alertam para o risco
de comprar medicamentos por meio da internet e em pequenas farmácias perto de
estações de metrô e de trem, pois podem ser falsificados ou trazer substâncias
nocivas. Não há garantia de que esses medicamentos sejam avaliados por
entidades fiscalizadoras. O Itamaraty recomenda que o remédio seja comprado em
um lugar confiável

Medicamentos:
segundo o Ministério das Relações Exteriores, autoridades russas podem
controlar estritamente a entrada de medicamento receitado no país. Portanto, brasileiros
devem portar receita médica, em inglês, do remédio. Brasileiros portando
medicamentos sem receita poderão ser detidos

Remédios permitidos:
Não há substâncias, que estejam com o prontuário médico, não permitidas na
Rússia, a não ser drogas ilícitas. Quem faz uso de medicação contínua deve
levar uma receita em inglês e, se possível, também em russo. Para evitar
qualquer tipo de transtorno, o ideal é que o turista tenha a receita para todos
os medicamentos que carregar na mala

 

Mala de mão: remédios
devem estar na mala de mão para evitar o risco de serem extraviados. Deixe
separadas e acessíveis as doses a serem utilizadas durante os deslocamentos,
como insulinas e outros remédios de uso contínuo, junto com agulhas e outros
acessórios, apenas na quantidade suficiente para o trajeto

 

Como levar os remédios: todos os medicamentos devem ser acondicionados em embalagem plástica transparente e vedada (com fecho ziplock), como preconizado pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). A agência ainda recomenda manter o medicamento na caixa original. A regra da Anac para transporte de líquidos na bagagem de mão diz que frascos não podem ultrapassar 100 ml. Isso vale também para xaropes, pomadas e medicamentos em spray. Frascos maiores, ainda que apenas parcialmente cheios, serão apreendidos. Ao todo, a nécessaire com remédios ou embalagem plástica transparente não pode pesar mais do que 1 kg nem medir mais de 20 cm x 20 cm

Leia Mais  Como preparar seu próprio limpa-vidros ecológico com 5 receitas caseiras

Medicamento para
diabetes
: Pessoas com diabetes devem estar preparadas, pois a insulina não
é vendida em todas as farmácias da Rússia. Além disso, a dosagem da insulina no
país costuma diferir dos demais. No Brasil, a dosagem é 100 ui/ml, enquanto na Rússia
é a mais comum é de 40 ui/ml

Veja quais tipos de
remédio você pode e deve levar na sua nécessaire para a Rússia (com receita).
Analgésicos:
agem diminuindo ou interrompendo as vias de transmissão nervosa dos impulsos
dolorosos, reduzindo a dor. Entre os fármacos analgésicos estão
aqueles que são da classe dos anti-inflamatórios não esteroidais (AINEs), como
a dipirona e o paracetamol

 

Antitérmicos: antipirético ou antitérmico, também pode ser chamado de febrífugo e antifebril, é um medicamento que previne ou reduz a febre, diminuindo a temperatura corporal que está acima do normal – acima de 37°C. Por exemplo: dipirona

Anti-inflamatórios: é um medicamento que combate a inflamação dos tecidos, favorecendo o desaparecimento de edemas. Existem dois tipos de anti-inflamatório, os anti-inflamatórios esteroidais e os não-esteroidais, por exemplo, diclofenaco, nimesulida e etoricoxibe 

Antiespasmódicos: agem inibindo a motilidade da
musculatura visceral, produzindo o efeito de prevenir a ocorrência de espasmos
no estômago, intestino, útero ou bexiga. São exemplos a diciclomina e hiosciamina

Antiácidos: os antiácidos são
medicamentos que aumentam o pH gástrico, neutralizando o ácido clorídrico
(HCl), combatendo principalmente a acidez do estômago, causada por má
alimentação ou qualquer situação que possa causar irritação no estômago.
Exemplos: ranitidina e famotidina

Antialérgicos: os
anti-histamínicos são medicamentos receitados em tratamentos contra alergias. Podem
ser divididos em dois tipos. O primeiro é o anti-histamínico H1, que tem
como alvo os receptores H1, situados pelo corpo inteiro, buscando lutar
contra fenômenos alérgicos. É indicado no tratamento sintomático de
rinites alérgicas sazonais, como febre do feno, urticária, conjuntivite
alérgica etc. Possuem um efeito dilatador sobre os vasos sanguíneos. Desta
forma, impedem as reações de edema (inchaço)

Leia Mais  4 alimentos que deixam nosso rosto irreconhecível

Já o anti-histamínico H2 age sobre os receptores
H2, especialmente os que estão situados na mucosa gástrica, no estômago. É
utilizado nos distúrbios ligados à úlcera do estômago e do duodeno,
assim como nos casos de refluxo gastroesofágico e serve para diminuir a acidez
gástrica. O anti-histamínico H2 tem um efeito limitado no tratamento das
reações alérgicas, mas pode ser indicado para tratar de algumas patologias
atópicas, como a urticária crônica.

Vale ressaltar que os anti-histamínicos são um tratamento
sintomático e não atuam na causa da alergia

Emergência: o telefone de
emergência na Rússia é 112, mas o atendimento é exclusivamente em russo.
Recomenda-se aos turistas brasileiros que, caso tenham uma emergência médica de
fato e não consigam atendimento devido à barreira linguística, que entrem em
contato com o Plantão Consular da Embaixada do Brasil em Moscou