petrobras, petroleo, refinaria, 1200, reuters

petrobras, petroleo, refinaria, 1200, reuters
Ueslei Marcelino/Reuters – 31.08.2017

Coordenador-geral da Federação Única dos Petroleiros (FUP), que lidera a greve nas unidades da Petrobras, José Maria Rangel divulgou vídeo nas redes sociais no qual culpa o presidente da empresa, Pedro Parente, e o presidente da República, Michel Temer, pelos efeitos à população da greve dos caminhoneiros. Ele nega que a paralisação dos petroleiros iniciada a zero hora desta quarta-feira atingirá o consumidor.

“Não vai ocorrer desabastecimento. Nós petroleiros e petroleiras sempre tivemos responsabilidade com as necessidades básicas da população”, afirmou Rangel, acrescentando que, por causa dos protestos dos caminhoneiros, os tanques de armazenamento das refinarias da Petrobras estão cheios de derivados de petróleo.

O esperado é que os três dias de manifestação não sejam suficiente para comprometer esse estoque.

Pela legislação que rege as greves, a 7.783, o fornecimento de combustível é considerado essencial à população e, por isso, deve ser garantido pelos manifestantes. Desde 1991, devido a uma derrota na Justiça, os petroleiros são obrigados a manter pelo menos 30% da produção em períodos de greve.

Justiça do Trabalho determina multa de R$ 300 mil a petroleiros em SP

Na paralisação de 1995, a maior realizada pela categoria, feita durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, a parada dos trabalhadores durou 32 dias. Essa foi a única a impactar o abastecimento do País.

Reunião às 18h

As lideranças da FUP e dos sindicatos ligados à entidade vão se reunir às 18h desta quarta-feira, para avaliar o movimento e as implicações jurídicas de prosseguir com uma greve que foi considerada ilegal pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), informou ao Broadcast (serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado) o diretor da FUP Gerson Castellano.

Ele informou que até o momento, apenas o Sindicato dos Petroleiros do Rio Grande Norte foi notificado pela Justiça, mas que até o final da tarde outras bases devem receber o documento que condena a greve.

“Vamos nos reunir por videoconferência para tratar da greve e das questões jurídicas, ver quais implicações a decisão do TST pode ter. A mobilização está forte e muita gente está querendo entrar (em greve) por tempo indeterminado”, informou o diretor.

Até o momento, 22 plataformas e 10 refinarias aderiram à greve, disse Castellano. Um novo balanço deverá ser divulgado às 16 horas.

A greve dos petroleiros começou à zero hora desta quarta-feira e tem como reivindicação o aumento da operação das refinarias da empresa para reduzir a dependência de importações de derivados de petróleo.

A categoria culpa o presidente da estatal, Pedro Parente, pela política de preços em paridade com o mercado internacional, o que leva a ajustes diários dos preços dos combustíveis sujeitos à volatilidade do preço do petróleo.

Em tempos de tensão geopolítica, como agora, a tendência do preço do petróleo é de alta, elevando o custo para o consumidor brasileiro.