Browse By

Carnaval 2018: Veja como foi o primeiro dia de desfile das escolas do Rio

Império Serrano, São Clemente, Vila Isabel, Paraíso do Tuiuti, Grande Rio, Mangueira e Mocidade Independente de Padre Miguel passam pela Sapucaí

A Império Serrano inaugurou os desfiles deste domingo na Sapucaí. A escola de samba da Serrinha, em Madureira, zona norte do Rio de Janeiro, retornou ao Grupo Especial após passar oito anos sem desfilar no pelotão de elite. O enredo falava da China, mas as homenagens foram para o sambista Arlindo Cruz, torcedor ilustre da Império que se recupera de um AVC.

São Clemente foi a segunda a desfilar na noite de Carnaval no Rio. A escola do bairro de Botafogo fez um passeio pelos duzentos anos da Escola de Belas Artes, desde a missão artística dos anos 1800 de Jean-Baptiste Debret até o Carnaval atual.

Terceira na avenida, a Unidos de Vila Isabel fez uma retrospectiva das grandes invenções do homem com o samba-enredo Corra Que o Futuro Vem Aí. Santos Dumont, Albert Einstein e Thomas Edson foram alguns dos homenageados.

A rainha de bateria da Unidos de Vila Isabel, Sabrina Sato, durante desfile no Sambódromo na Marquês de Sapucaí - 12/02/2018

A rainha de bateria da Unidos de Vila Isabel, Sabrina Sato, durante desfile no Sambódromo na Marquês de Sapucaí – 12/02/2018 (Ricardo Moraes/Reuters)

O capricho tecnológico e a abundância de luzes marcou a passagem da escola pela Sapucaí. Sob o comando do carnavalesco Paulo de Barros, a escola usou a tecnologia LED na saia da porta-bandeira e em discos que, manejados pela comissão de frente, formavam a palavra “Vila”. Sabrina Sato foi a rainha de bateria.

Com enredo sobre escravidão, a Paraíso do Tuiuti misturou samba e política. A escola foi a quarta a entrar na Sapucaí e trouxe uma sátira a Michel Temer com um presidente-vampiroem um de seus carros alegóricos.

Grande Rio fez uma homenagem a Chacrinha em seu desfile, trazendo uma retrospectiva das contribuições do comunicador para a televisão e para o rádio. Stepan Nercessian encarnou o velho guerreiro, enquanto Juliana Paes brilhou como rainha de bateria.

A escola, porém, teve dificuldades. Um dos carros quebrou e sequer entrou na avenida. A alegoria precisou ser rebocada e o problema atrasou a agremiação, que estourou o tempo do desfile em cinco minutos, além de ter deixado um buraco que atrapalhou a evolução.

Sexta escola da noite, a Mangueira fez um desfile-protesto bem-humorado contra o prefeito Marcelo Crivella. O enredo Com dinheiro ou sem dinheiro, eu brinco ironizou o corte de verbas para a folia promovido pela Prefeitura. O “homenageado”, porém, não estava na Sapucaí. Crivella viajou neste domingo para a Europa.

O último desfile da noite terá o enredo Namastê… A Essência Que Habita em Mim Saúda a Que Existe em Você da Mocidade Independente de Padre Miguel, uma analise dos aspectos da cultura indiana no Brasil.

(Com Estadão Conteúdo)

 

Deixe uma resposta